Cambalhota Matinal

Ícone

Serão os árbitros culpados?

O Benfica está a realizar uma das suas piores épocas. Nem os próprios benfiquistas negam este facto. Mas continua na luta… à procura de um bode expiatório para esta época… e para as últimas duas edições… e para todas aquelas que não conseguiram ganhar nada.

A última acção movida por Luís Filipe Vieira foi contra Lucílio Batista, entrando com uma participação na Comissão Disciplinar da Liga para “chamar a atenção para um conjunto de erros técnicos graves” do juiz. Mas para mim, isto e muitas outras declarações do presidente encarnado é como atirar areia para os olhos dos benfiquistas. Passo a explicar.

A péssima época que o Benfica está a realizar, na minha opinião, tem apenas um culpado, que dá pelo nome de Luís Filipe Vieira. Um conjunto de más decisões do presidente é que colocaram o Benfica nesta situação:

1. Saída de José Veiga, única pessoa capaz de organizar o futebol encarnado e principal responsável pelo título conquistado há três anos;
2. Assumiu o controlo da gestão de todo o futebol encarnado;
3. Troca de treinador logo na primeira jornada. Começava assim a queda da Mística Benfiquista que alegou quando contratou o engenheiro;
4. Venda de Simão Sabrosa sem ter estudado uma alternativa viável;
5. Contratações de jogadores “a pacotes”;
6. Incapacidade para colocar ordem no balneário, não aplicando o devido castigo a jogadores que se agridem em campo;
7. …

Estes são algumas das causas deste desastre de época. Agora, sem conquistar nenhum dos objectivos a que se propôs, Luís Filipe Vieira com discursos ofensivos e direccionados para a arbitragem tenta desta forma desviar a atenção dos benfiquistas para não o acusarem de incompetência.

Ilustração de Bruno Taveira

 

Anúncios

Filed under: Analisar em cambalhota

“Os melhores combates do futebol português”

Está a decorrer no site MaisFutebol uma votação sobre as picardias mais escaldantes do futebol português. Os adversários são: João Pinto vs Paulinho Santos; Sá Pinto vs Artur Jorge e Fernando Couto vs Mozer.

Visite o site e conheça as histórias destes duelos e vote….

Filed under: Analisar em cambalhota

Desafio? Resistir aos milhões…

Com uma época de sonho a nível interno, o Porto prepara-se para receber propostas pelas “jóias da coroa”. São vários os jogadores que interessam aos mais variados clubes da Europa. Inter, Sevilha, Roma, Manchester, Liverpool, Real Madrid, Barcelona perfilam-se para adquirir os passes dos melhores jogadores do campeonato nacional.

Quaresma interessa ao Real Madrid e Inter; Lisandro é cobiçado por Sevilha e Roma; Lucho interessa ao Barcelona; Bruno Alves despertou o interesse do Liverpool e Bosingwa “pisca o olho” ao Manchester. Um interesse recente é o do Atlético de Madrid em Raul Meireles.

Apesar da natural cobiça destes jogadores, o Futebol Clube do Porto deve conter-se nas vendas e deixar de ser um clube vendedor. Não quero com isto dizer que o Porto não deva vender, até porque o deve fazer para controlar as contas do clube. O que deve fazer é mudar a política de venda, deixando sair um ou dois jogadores, com o devido retorno financeiro.

Isto porque, depois da consolidação a nível interno, o Porto deve apostar na consolidação a nível europeu. Conquistar o campeonato nacional é um objectivo que é renovável todos os anos, mas já começa a ser pouco para os dragões. Querem mais! Querem uma boa campanha europeia (quiçá a conquista da Champions), pois o campeonato português já se começa a tornar num passeio para os portistas, tal a superioridade demonstrada nas últimas décadas.

O Porto joga um futebol atractivo e conquista campeonatos, atrás de campeonatos. É bom, muito bom, mas como ambiciosos que são querem mais e têm legitimidade para isso.

Para se tornar numa equipa competitiva a nível europeu, Pinto da Costa não pode cair na tentação do dinheiro e vender os jogadores mais valiosos do clube, desmoronando uma equipa que já tem os seus métodos entrosados. O Porto deve fazer alterações pontuais, vender o necessário e catalisar o dinheiro ganho, comprando jogadores que tenham capacidade para se tornarem opções válidas. Esse é o verdadeiro desafio para o Futebol Clube do Porto nos próximos anos.

Filed under: Analisar em cambalhota

Magia Russa “pendura as botas”…

Dmitri Alenitchev, com 35 anos, vai despedir-se dos relvados. O jogador que Portugal bem conhece decide “pendurar as botas” depois de uma carreira de sucesso.

A 4 de Maio vai-se realizar um jogo de despedida em homenagem ao jogador, que terá a participação especial de alguns companheiros de Gelsenkirchen, como Deco, Carlos Alberto, Vítor Baía, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Derlei, Costinha, Maniche, entre outros. Este jogo contará ainda com José Mourinho, seu treinador na conquista da Champions em 2004, que voltará ao banco em homenagem ao seu jogador talismã.

Alentichev começou a sua carreira em 1991, no Lokomotiv de Moscovo, mas foi no rival Spartak que ganhou mais notoriedade, antes de se mudar para Itália, mais precisamente para a Roma. Após uma época na equipa da capital, o russo foi emprestado ao Perugia, antes de se mudar para o Futebol Clube do Porto, ajudando o clube a conquistar a Taça UEFA e a Liga dos Campeões, marcando um golo em cada final. Depois do sucesso regressou ao Spartak para aí terminar a sua carreira.

Alenitchev era um jogador simples, com uma técnica incrível e com uma frieza tipicamente russa. Dmitri dava a ideia que estava a jogar de pantufas, tal a suavidade com que tratava a bola e tornava tudo tão simples. O russo era classe pura e espalhava magia nos relvados.

Filed under: Analisar em cambalhota

Judo: João Neto primeiro no ranking

O judoca português João Neto ascendeu ao primeiro lugar no ranking mundial da categoria -81Kg. Após conquistar o título de campeão europeu em Lisboa, Neto subiu oito lugares na tabela e ultrapassou o brasileiro Tiago Camilo.

Segundo o jornal Expresso, estas alterações substanciais devem-se à pontuação atribuída a este campeonato da Europa, equiparada à dos Mundiais do Rio de Janeiro.

Portugal está no topo da modalidade, graças ao João Neto, que elevou o nome do nosso país. Parabéns João!

Filed under: Analisar em cambalhota