Cambalhota Matinal

Ícone

Desportivamente fal(h)ando III

Começarei este meu apontamento pelo que habitualmente deixo para o final.

O substantivo feminino contusão deriva do latim contusione. Tem como definição simplesmente: efeito de contundir, pisadura, traumatismo ou equimose. No sentido figurado pode ser interpretado como ressentimento ou impressão moral.

Assim sendo, deduzindo de ânimo leve, esta palavra deve ser uma das mais frequentes no “vocabulário desportivo”. Deve não, deveria! É verdade, esta palavra em nada figura num relato desportivo, principalmente radiofónico e televisivo e eu acho que sei o porquê.

Vejamos/imaginemos: está um transístor sintonizado num relato de futebol num tasco, que tem derramado no seu balcão mais líquido que aquele que está dentro dos copos nele pousados, e o relatador diz: “e agora o jogador X sofre uma contusão pela entrada viril do adversário Y”. Perante este cenário inclua, um tossir, um assoar de nariz ou um arroto no momento em que “uma contusão” é enunciada. Pois, acho que concluímos o mesmo…

Frederico Correia

Filed under: Desportivamente fal(h)ando

Desportivamente fal(h)ando II

Para actualizar o espaço dedicado às expressões que usualmente figuram em textos desportivos, fiz uma pequena pesquisa e encontrei a interessante “retranca”.

“(…) por seu lado, mostrou que, em jogos fora, tem uma defesa muito permeável. (jogador) é sol que já não brilha e (jogador) está na fase descendente. Depois, jogou na retranca e (treinador) mentiu quando disse que ia atacar. Fez bluff que não resultou.”

Segundo o dicionário online Priberam, retranca pode assumir os mais diversos significados, dependendo do contexto em que se vê inserido. Vejamos:

Substantivo feminino – correia larga que passa por baixo da cauda das bestas e cujas extremidades se ligam à parte posterior da sela;
Náutica – verga usada no mastro da ré;
Substantivo masculino – indivíduo pouco sociável, pouco comunicativo e tímido.
estar na -: desconfiar; acautelar-se; o m. q. ficar na retranca ou pôr-se na retranca;
ficar na -:vd.  estar na retranca;
pôr-se na -:vd.  estar na retranca.

Assim se vêem as variantes que pode assumir esta palavra. Os textos desportivos, por uns desejados, por outros desrespeitados ou somente ignorados, mostram a sua capacidade no uso de todo o tipo de palavras e expressões.
Podem parecer estranhas, mas são nada mais nada menos que Português.

Para os mais desatentos, no texto (devidamente assinado) o seu significado passa por estar retraído na defensiva, encostado às cordas (recorrendo ao boxe) ou simplesmente a jogar à defesa…

Frederico Correia

Este espaço não visa ser ofensivo a quem escreveu ou usou determinada “expressão”.

Filed under: Desportivamente fal(h)ando

Desportivamente fal(h)ando I

Para provar que este blog pertence aos 90 e tal por cento de lixo que existe na Internet, segundo o especialista… (se quiser saber quem é, pesquise) vou abrir espaço a uma palermice – correcção – mais uma grande estupidez.

Vou trazer a partir de agora e amiúdo, para não dizer disciplinadamente, faseadamente ou de forma regular, um espaço dedicado às expressões mais carismáticas dos comentários/análises/crónicas desportivas.

Para inaugurar o espaço do Desportivamente fal(h)ando escolhi o seguinte excerto:

“Foi o desânimo nas hostes (equipa) e com excepção dos que estavam em campo parecia que já ninguém acreditava que o resultado viesse a sofrer alterações mas, os de (equipa) num último arreganho conseguiram aos 94 m por intermédio de (jogador) que de cabeça fazia o terceiro golo para a sua equipa – a equipa que marcou alcançou a vitória, com este golo, por 3-2.” (texto retirado de um site, devidamente identificado e assinado)

Com uma primeira leitura rápida, solta-se uma risada de estranheza e admiração (pelo menos eu). Arreganho, pelo contexto da frase, depreende-se o seu significado, mas a verdade é que ninguém se lembrava que pudesse existir tal palavra.

Pois bem, no dicionário online da Priberam, Arreganho é um substantivo masculino ou a primeira pessoa do verbo arreganhar no presente do indicativo. O significando passa pelo acto de arreganhar; abertura da boca mostrando os dentes; gesto, atitude feroz; altivez ou brio.

Como se pode ver, a expressão é bem enquadrada na frase, pela vivencia que traduz. Aquilo que para muitos pode parecer estranho, desenquadrado ou até mesmo saloiice é, na verdade, o uso correcto da Língua Portuguesa.

Frederico Correia

Este espaço não visa ser ofensivo a quem escreveu ou usou determinada “expressão”.

Filed under: Desportivamente fal(h)ando